Changan minibenni será fabricado no Brasil
O Popular

A montadora chinesa Changan confirmou ontem que vai produzir veículos de passeio numa fábrica a ser instalada em Anápolis, de acordo com compromisso assumido no protocolo de intenções assinado no final de maio passado com o governo de Goiás. O investimento na nova unidade ficará entre US$ 280 milhões e US$ 300 milhões, com ajuda do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), conforme anunciou ontem o diretor executivo da Districar, Abdul Ibraimo, durante coletiva de imprensa no 27º Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, que será aberto oficialmente hoje pela presidente Dilma Rousseff.

A expectativa é de que a unidade de Anápolis comece a produzir no final de 2014 ou início de 2015. No portfólio, estão o compacto Mini Benni, o sedã Alsvin e o utilitário CX20, que, importados pela Districar, já serão comercializados a partir de 2013 no País. Com os novos produtos, a marca pretende atingir 10 mil veículos vendidos no ano que vem, 70% deles comerciais. Em 2011, a marca vendeu 5,5 mil e este ano deve terminar com 4 mil por conta da cobrança de 30 pontos porcentuais adicionais de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos que não tenham 65% de conteúdo nacional.

ESPÍRITO SANTO
Abduk Ibraimo anunciou também que as marcas chinesas Changan e Haima e a coreana SsangYong vão produzir veículos comerciais e de passeio em uma montadora a ser instalada em Linhares, no Espírito Santo. As marcas já haviam informado ao mercado a construção da unidade capixaba, mas seria apenas para montagem de veículos, dentro do processo chamado de CKD. Agora, depois da regulamentação do novo regime automotivo, válido a partir do ano que vem, as empresas asiáticas vão a transformar a unidade em linha de produção de veículos.

Os investimentos, inicialmente previstos em US$ 300 milhões, serão aumentados entre 20% e 25%. A Districar, que é importadora exclusiva das três marcas no País, vai arcar com os custos da unidade no Espírito Santo. A produção de veículos começará no final de 2014 ou início de 2015. Ele afirmou que a exigência de conteúdo regional estipulada pelo novo regime automotivo, chamado de Inovar-Auto, é “muito alta”. “Mas não vamos desistir da fábrica nem adiar. Temos sempre de ir em frente”, disse. Em Linhares, haverá produção de veículos comerciais da Changan e de passeio da Haima e da SsangYong. O objetivo, segundo Ibraimo, é que as três marcas formem, juntas, um portfólio completo de veículos para competir em todos os segmentos.

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: