As críticas feitas pela população ao prefeito de Planaltina-GO, José Olinto Neto (PSC), foram reprimidas de forma, no mínimo, reacionária. Avesso aos ataques, o prefeito solicitou que o Centro Integrado de Operações de Segurança do município intimasse os autores das críticas, feitas principalmente pelas redes sociais. Indignados com mais uma ação indevida do prefeito, os movimentos social e sindical e a população realizaram nesta quinta-feira (25) ato para que José Olinto Neto, reeleito nas últimas eleições municipais, não fosse empossado.

“A liberdade de expressão, principalmente sobre política e questões públicas é o suporte vital de qualquer democracia. Quando se restringe a liberdade de um indivíduo, não somente o direito deste é atingido, mas também o de toda a comunidade, que acaba não recebendo e debatendo as informações”, afirma o dirigente da CUT-DF, Mauro Mendes.

O veto à liberdade de expressão foi o estopim para a população de Planaltina-GO. Organizados pelo movimento social Planaltina-GO Limpa, CUT-DF e sindicatos filiados, cerca de 400 pessoas aproveitaram o passado comprometido do prefeito para reivindicar diante do Fórum do município a agilidade no julgamento de José Olinto Neto, denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) por diversas irregularidades no mandato.

Em 2010, o MPGO pediu o afastamento de José Olinto pelo não repasse da arrecadação previdenciária a servidores públicos do município e pela liberação destas verbas de forma irregular. A ação civil pública foi movida pela promotora de Justiça Lucrécia Cristina Guimarães.

Em fevereiro deste ano, o prefeito foi novamente alvo de denúncia do Ministério Público Federal, pela Procuradoria Regional da República da 1ª Região, por não prestar contas em convênio firmado com Ministério da Saúde. O acordo previa a construção de uma unidade de saúde, no valor de R$ 100 mil, visando o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).

Outro caso de repercussão foi o desvio de parte da verba de R$ 1 milhão repassada pelo Ministério da Integração para fechar uma cratera de 1,5 quilômetro de extensão que ameaça 200 famílias que vivem próximas ao local.

No próximo domingo, 28 de outubro, os movimentos social e sindical junto com a população realizarão novo ato contra o prefeito de Planaltina-GO. A atividade será às 9h, na feira local do município.

Secretaria de Comunicação da CUT-DF

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: