Os servidores municipais de Formosa (GO) realizaram na manhã da terça-feira (13) um grande ato em frente à prefeitura da cidade. O prefeito Pedro Ivo de Campo Faria, que poderia ser responsabilizado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), reduziu o valor da insalubridade paga aos funcionários municipais.

Os cortes atingiram principalmente o pessoal da saúde e garagem. "Os profissionais que trabalham com Raio X recebem agora 10% de insalubridade, quando a lei determina 40%. Os que trabalham com sangue humano recebem 5% e o pessoal da garagem simplesmente teve o valor da insalubridade cortado", disse Karla.

O Sinprefor informou que, por várias vezes, tentou conseguir de Pedro Ivo uma resposta para a solução do problema. Em vão, pois Pedro Ivo não diz se o pagamento vai voltar.

"O prefeito, para reduzir ou cortar o pagamento da insalubridade, valeu-se de uma lei federal e nós não somos servidores federais. Além disso, ele se baseou em um laudo médico feito sem uma junta médica e por um médico não qualificado para emitir esse tipo de laudo. Isso sem falar no princípio constitucional da irredutibilidade, ou seja, os salários não podem ser reduzidos assim, no grito", afirmou Alex.
Na próxima semana, o Sinprefor promete intensificar a mobilização caso Pedro Ivo não responda à categoria.

Com informações da CUT e CUT-DF

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: