O primeiro dia de aula sempre é uma expectativa. Alunos animados com olhares radiantes e o sorriso “estampado na cara”! Todos encontrando seus antigos colegas e conhecendo os demais. Alguns retraídos por virem de outra Escola e professores/coordenadores fazendo socialização da meninada.

Os professores animados, outros não, para fazerem as dinâmicas do primeiro dia de aula, apresentando plano de ensino, objetivos a serem alcançados juntos, projetos a serem desenvolvidos, atividades recreativas... Enfim, todos unidos a fim de tornar o ambiente escolar agradável e propício ao ensino e a aprendizagem.

Pois bem! Nem tudo é Alice no País das Maravilhas! Nem todos os professores estão preparados para trabalharem com alunos ditos “portadores de necessidades especiais” mesmo com o apoio/monitor em sala de aula. E os professores de Contrato Temporário recém-formados estão preparados para atender a “Clientela Especial”? Teoria se vê nos cursos de Licenciatura. A prática, aprendemos na sala de aula, ou seja, na Escola, no dia a dia. E quem não tem experiência o quê fazer? Pesquisar, estudar, atualizar.....

Agora pergunto...? Será que as Secretarias de Educação vão oferecer capacitação aos professores iniciantes/contratados para trabalharem com crianças ditas “portadoras de necessidades especiais”? Eu não sei responder? VÁ perguntar ao Secretário (a) de Educação do seu Município ou aos Responsáveis Legais.

Escolha qual rede social e comente:

1 comments:

  1. Em Formosa, acho que continuará o projeto dos futuros formados em Pedagogia cursarem pós e se especializarem. Há cursos na própria cidade, e caso a pessoa queira aprender mais e consequentemente ganhar mais pode ir para Brasília e fazer uma pós.
    O salário não dispara, mas é um atrativo para novos professores que querem seguir a carreira para criar novos cidadãos.

    ResponderExcluir