Ontem (5), um estudante da faculdade UEG unidade de Formosa registrou um “Termo de declarações” na Polícia Cívil.

Segundo o termo relatado por João Paulo – que é estudante da UEG – ele e outros estudantes estavam realizando um “apitaço”, que é um movimento social no interior da universidade. A manifestação estava ocorrendo de forma pacífica, e somente 3 professores estavam realizando aulas na unidade e não mais de 40 alunos estariam assistindo tais aulas.
Atendendo a determinação da assembleia de que o padrão seria desligado todas as noites para que não houvesse aulas daqueles que não aderiram à greve, João Paulo desligou o padrão.

Logo em seguida a energia foi religada, e novamente João Paulo foi desligar o Padrão, no entanto um “professor” veio em sua direção, João Paulo então buscou correr mas foi alcançado pelo agressor no pátio.

O estudante sofreu agressões verbais e também foi agredido com uma cuia de chimarrão no pé, teve seu pescoço apertado e foi empurrado contra a parede ao lado da cantina pelo “professor”.

Segundo o “Termo de declarações” havia de 25 a 30 testemunhas no local.

O termo completo está disponível no grupo Greve UnU Formosa

Em ligação para a UEG não obtemos resposta, também não conseguimos contato com o possível professor agressor.
Caso alguma das partes deseje se manifestar, envie um e-mail para contato@entornourgente.com

Escolha qual rede social e comente:

2 comments:

  1. a parte das agreçoes verbais que o então agredido fez ao professor não divulgam não! não divulgam também que o agredido perturbou o aula a ser dada pelo professor tanto a tal ponto do professor se revoltar... lembrando que se o professor resolver dar aula por lei a assembleia não pode interferir de maneira alguma a decisão do professor.

    ResponderExcluir
  2. pura verdade, isso as pessoas não divulgam! De fato não posso afirmar se ouve agressão, e se tiver realmente tido, não pode se dizer que a culpa é totalmente do professor, cada um tem o seu limite, as aulas deste professor já estavam sendo "sacaneadas" ja faz algum tempo... ele realmente é um ser humano e erros acontecem, o que não pode acontecer é que as pessoas fiquem aumentando os fatos para se vangloriarem, e se fazerem de coitados, e como meu amigo mauricio disse está na lei e não pode ser descumprido: LEI Nº 7.783, DE 28 DE JUNHO DE 1989. o Art. 6, paragrafo 3 desta lei diz o seguinte: "As manifestações e atos de persuasão utilizados pelos grevistas não poderão impedir o acesso ao trabalho nem causar ameaça ou dano à propriedade ou pessoa." e ai, será mesmo que estava sendo cumprida a lei antes de todos este fatos? será que se tivessem cumprido a lei, este "fato" teria ocorrido?

    ResponderExcluir