Um projeto de lei que tramita na Câmara de Formosa está gerando muita polêmica entre a população local. Segundo o vereador Nélio Marques, o projeto prevê o fechamento obrigatório das lojas de departamento, óticas, roupas, calçados, brinquedos e similares às 14 horas aos sábados. O embate fica entre população, funcionários e empresários.

Vários funcionários das lojas estão recorrendo às redes sociais para solicitar aos vereadores que entendam e votem a favor do projeto de lei.


Os formosenses que são contra acreditam em uma baixa lucratividade para o comércio e uma alta no desemprego. Eles sugerem que sejam realizadas escalas, também alegam que o mercado tem que se ajustar sozinho sem interferência do poder público.

Quem é a favor garante que a lei vai garantir melhor qualidade de vida, além de garantir um descanso aos funcionários que trabalham. "Sou a favor, melhor condição para os trabalhadores JÁ! O capitalismo selvagem já priva muitas famílias de momentos de lazer. Além do mais, sábado será aberto se alguém quiser comprar nesse dia é só ir mais cedo. O impacto na qualidade de vida será surpreendente", revela.

A enquete elaborada pelo vereador Nélio Marques na rede social conquistou em menos de 2 horas mais de 50 comentários com pessoas a favor e contra.

Opinião do colunista:


Enquanto as empresas lá fora oferecem mordomias aos funcionários como forma de incentivo e para torna-los proativos, alguns empresários locais estão querendo sugar a força de trabalho. A mais-valia (termo usado para designar a diferença entre o salário pago e o valor do trabalho produzido, ou seja, o lucro que cada funcionário produz para o empresário) muitas vezes é utilizada para comprar carros de luxo e garantir benesses, enquanto o funcionário trabalha de sol a sol não tem o básico para sobreviver.

Uma pesquisa do governo de Barcelona e publicado na revista Scandinavian Journal of Work, Environment & Health apontou que o excesso de trabalho pode trazer danos físicos e emocionais à saúde. Deixo aqui uma pergunta: Vocês já viram como é o trabalho no coração do município de Formosa?

Estudiosos garantem que trabalhar menos pode significar em mais produção e proatividade. Além de garantir menores custos.

Abaixo cito algumas mordomias oferecidas por algumas empresas:

Airbnb: Os funcionários têm aulas de yoga, ganham 2 mil dólares por ano para viajarem, podem levar seus cães para o trabalho e têm uma mesa de ping-pong à disposição.
Facebook: Além de uma lista de benefícios vistos em outras empresas, o Facebook dá aos funcionários 4 meses de licença maternindade com dinheiro para babá e deposita na conta do bebê 4 mil dólares.
Automattic: Os funcionários podem escolher o horário de trabalho além de não terem limite de dias em suas férias. Trabalham de casa, mas uma vez por ano tem um encontro bancado pela própria empresa que ocorre geralmente em resorts e hotéis de luxo ao redor do mundo.
Zynga: Uma vez por mês acontece um torneio de pôquer entre os funcionários, além de terem à disposição video games como PS3, Xbox e Nintendo. As refeições na empresa são de graça e os funcionários são instruídos a tirarem férias quando estão trabalhando demais.
Twitter: Disponibiliza aos funcionários mesa de pebolim (totó), alimentação grátis, aulas de yoga e pilates ou o dinheiro para que façam academia. Além disso, a sede ainda banca serviços como aluguel de carros e lavanderia.
Groupon: Na última sexta-feira os 650 funcionários do Groupon no Brasil estavam liberados para usar chinelos durante o expediente. A permissão faz parte de um projeto chamado "Fun Friday", que existe desde meados de 2012 na empresa. Por meio dele, uma sexta-feira de cada mês se transforma em uma espécie de dia oficial da festa à fantasia no ambiente corporativo.


Colaborou: Ceviu e Época.

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: