O Sinprefor realizou a manifestação “Abre o Olho Formosa”, na manhã desta quinta-feira.

O Sinprefor, Sindicato dos Servidores Municipais de Formosa, realizou a manifestação “Abre o Olho Formosa”, na manhã desta quinta-feira (6).

Na manhã desta quinta-feira servidores e população se reuniram na Praça Rui Barbosa para questionar a fatal de informações sobre as contas públicas do município e cobrar o cumprimento de todas as leis trabalhistas que até o momento estão deixadas de lado pelo atual governo (Piso, Data Base, Titularidade, Incentivo Funcional, Décimo quarto dos ACS e ACE, atualização da Tabela Salarial de todos os funcionários entre outras reivindicações).

Após a assembleia, que decidiu por maioria um ato no dia 7 de setembro, os manifestantes visitaram a Câmara Municipal de Formosa para cobrar que se fiscalize a Prefeitura.

Durante a caminhada os manifestantes questionaram a atual situação e clamaram a saída do chefe do executivo local.

Em nota, o Sinprefor protesta “Os trabalhadores, tapeados desde o início deste ano com o não cumprimento das leis de reajuste dos salários, estão indignados com a falta de respostas e de diálogo da Prefeitura que pouco demonstrou zelo em resolver as questões dos funcionários com o intuito de pagar o que lhes é devido. ”

Foi agendado novo Ato Público Sindical-Popular para o dia 7 de setembro, logo após o desfile. “Os funcionários e o povo de Formosa querem continuar a mostrar a sua insatisfação com a situação e não vão parar de realizar os atos até que o governo pare com o discurso de redução dos benefícios dos trabalhadores e aumento dos impostos. Ninguém que faz parte do movimento vai se acovardar e baixar a cabeça enquanto a luta seguir. A união e a força de vontade por mudanças estão bem claro e vamos preservar isto” afirmou um dos dirigentes do sindicato.

O sindicato também buscará providências junto ao Ministério Público em Goiânia e o Federal, no Distrito Federal, para que os órgãos de investigação possam realizar o acompanhamento de perto das questões acima descritas.

Entre os discursos foi cobrado auditoria das contas públicas e dos recursos federais, tais como o FUNDEB, FPM e outros que integram as contas da Prefeitura. “Desanimar é desacreditar e deixar a Prefeitura fazer o que ela bem entender com a gente sem ter o direito de reclamar. Vamos seguir na rua, vamos à luta” disse outro dirigente.

Com informações do Sinprefor.

Galeria

Confira as fotos






Um vídeo publicado por Entorno Urgente (@entornourgente) em

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: