Ninguém imaginou que a Marcha Mulheres em Luta – Em defesa da natureza e alimentação saudável contra o agronegócio se encerraria ocupando o prédio e com reforço policial para evitar danos ao patrimônio.

Desde a ocupação do Centro Administrativo da Prefeitura de Formosa, na tarde desta terça-feira (8), não se fala em outro assunto na cidade. Ninguém imaginou que a Marcha Mulheres em Luta – Em defesa da natureza e alimentação saudável contra o agronegócio se encerraria ocupando o prédio e com reforço policial para evitar danos ao patrimônio. Servidores municipais em greve participaram do ato junto com o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra.

Mesmo assim algumas portas do prédio sofreram pichação com símbolos feministas e do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra. O vidro da porta que dá acesso à garagem do prédio também foi quebrado. Cacos de vidro se esparramaram pelo chão.

Saindo das redondezas do Colégio Estadual Presidente Vargas, a Marcha seguiu rumo à Praça Rui Barbosa em busca de direitos. Assim que chegaram ocuparam a Prefeitura com gritos de guerra em apoio aos servidores em greve. A multidão de trabalhadores rurais, servidores municipais em greve e movimentos sociais seguiram até o gabinete do chefe do executivo local.

Os manifestantes só saíram do Centro Administrativo após representantes da Prefeitura se reunirem com o sindicato dos servidores municipais.

O ato realizado simboliza a luta pelos direitos das mulheres, trabalhadores do campo e da cidade. A Jornada Nacional das Mulheres do MST mobilizou 21 estados do Brasil. "As Mulheres chamaram a atenção da sociedade para o modelo destrutivo do agronegócio para o meio ambiente, a ameaça à soberania alimentar do país e a vida da população brasileira, afetando de forma direta a realidade das mulheres", diz o MST em nota.


Escolha qual rede social e comente:

0 comments: