Menu

Vendo "Older Posts"

Vendo "Desabafo"

Formosa tem alto índice de desenvolvimento humano e é a maior dentre seus vizinhos goianos e mineiros

30 julho 2013 / Sem comentários
O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) divulgou ontem (29) os dados do Atlas Brasil 2013, que apresenta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 5.565 municípios. O índice considera que apenas o crescimento econômico não é suficiente para medir o desenvolvimento de uma cidade: o IDHM é constituído da avaliação de critérios relacionados à saúde, educação e renda.

Formosa, a “capital do nordeste goiano” apresenta alto Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), segundo dados divulgados pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) nesta segunda-feira (29). Formosa ocupa a 667ª posição no ranking e está à frente da capital amazonense Manaus que ocupa o 850º lugar no ranking nacional.

O IDHM é um índice composto por três indicadores de desenvolvimento humano: vida longa e saudável (longevidade), acesso ao conhecimento (educação) e padrão de vida (renda). O índice atual de Formosa é 0,744, em uma escala de 0 a 1, no qual quanto mais próximo de 1, melhor.

Dados por ano

1991
Longevidade: 0,647
Educação: 0,766
Renda: 0,682
IDH-M: 0,698

2000
Longevidade: 0,730 (+0,083)
Educação: 0,840 (+0,074)
Renda: 0,681 (+0,001)
IDH-M: 0,75

2010
Longevidade: 0,852 (+0,122)
Educação: 0,666 (- 0.174)
Renda: 0,726 (+0.045)
IDH-M: 0,744

Comparação com municípios vizinhos

Cidade
IDH-M
Índice
Variação com Formosa
Formosa
0,744
(Alto)
 -0.000
Planaltina
0,669
(Médio)
-0.075

Cabeceiras
0,668

(Médio)
-0.076
Água Fria:

0,671
(Médio)
-0.073
São João D’aliança: (-
0,685
(Médio)
-0.059

Flores de Goiás:

0,597
(Baixo)
-0.147
Vila Boa:

0,647
(Médio)
-0.097
Cabeceira Grande:
0,648

(Médio)
-0.096
Buritis:
0,672
(Médio)
-0.072

Algumas secretarias “sem grandes críticas” são alvo de críticas enquanto outras não são citadas

10 junho 2013 / 1 Comment
(Por Aldimar Nunes)
Acho que todos tem direito de criticar, e considero mais compreensível quando um leigo usa falsamente certas declarações. Mas o que foi de estranhar foi um jornalista renomado declarar algo que não pesquisou.

Recentemente vários secretários que desenvolvem trabalhos “sem muitas críticas” no governo do Itamar Barreto se depararam com uma dura crítica declarada em uma coluna de um jornal regional. Na mesma coluna o Entorno Urgente foi alvo dessas críticas infundadas, sem nenhuma pesquisa ou consulta, saindo apenas da imaginação do redator informações que até hoje tentamos entender.

Não digo que o governo do Itamar está excelente ou perfeito, digo apenas que o jornalista se ateve mais a política do que a prática, já que essas áreas não são criticadas (outras são muito mais e nem citaram).

Não acredito que a secretária de cultura, Dona Vera Couto que fez um trabalho primo na Festa do Divino não corresponda a proposta de modernização. O mais estranho foi que João Lúcio Pereira (Jacaré) que acaba de encerrar um dos maiores eventos esportivos já visto em Formosa recebeu tais críticas, assíduo e popular nas redes sociais promoveu o Rodeio Solidário há um mês e mesmo assim entrou para a roda das críticas.

Até o astuto secretário de Governo e Articulação Política, Marcelo Magalhães recebeu duras críticas. Apontado como solidário e de fácil acesso pela população o secretário não tinha sido citado em nenhuma/quase nenhuma crítica nas redes sociais.

Entrevistei a Secretária de Desenvolvimento Econômico e me deparei com uma lista de 2 folhas de propostas e obras em andamento, que será tema de outra reportagem. 

A Secretaria de Desenvolvimento trabalhou para organizar folhas soltas em processos mas não teve seu trabalho reconhecido pelo jornal.

Me pergunto como um jornalista que tem acesso livre para conversar e debater com as secretarias não checa as informações ou ao menos pesquisa. Deixo um conselho ao todo poderoso da informação, ou se moderniza ou pede para sair.

Se for criticar, critique. Mas também critique secretarias que merecem ser criticadas, não desestabilize as que estão funcionando bem, afinal time que está ganhando não se mexe.

Frase do dia: “Não se conquista credibilidade com conversa, com promessas ou com estratégias. Credibilidade conquista-se com RESULTADOS e se perde com desvios em seu caráter” - Flavio Augusto.

Moradores de Formosa estão insatisfeitos com transporte Planaltina – Formosa

03 junho 2013 / Sem comentários
Reprodução/Wikipédia

Vários formosenses usaram as redes sociais para registrar a insatisfação com o horário de saída dos ônibus.


Segundo usuários do serviço, alguém que sai do serviço às 12:30 em Planaltina (DF), deve esperar até às 14:00 para retornar a Formosa.

Boa parte da população formosense vive a base de grandes sacrifícios quando o assunto é o transporte coletivo. Muitas pessoas estão insatisfeitas com os transtornos de que são vítimas diariamente, principalmente, nos horários de ir e de vir do trabalho. 

O transporte coletivo no Entorno é muito criticado por causa dos bilhetes caros e má qualidade do serviço prestado. 

Vale ressaltar que a Organização Mundial da Saúde realizou levantamentos que mostram que o transporte coletivo vai além dos benefícios de reduzir problemas como os gerados pela poluição. Os trabalhos, coordenados pelo Dr. Carlos Dora, um dos mais conceituados do planeta quando o assunto é qualidade de vida nas cidades, revelam que uma rede de transportes públicos e de ciclovias eficientes interfere em muito mais áreas da saúde do que se imaginava e pode também ajudar no combate a problemas como estresse, sedentarismo e obesidade, que custam milhões de vidas por ano.

Coordenador de Ambientes Saudáveis da OMS para Departamentos de Saúde, Carlos Dora, usou os dados de mais de 300 estudos mundiais sobre saúde, mobilidade urbana, planejamento e gestão urbana, urbanismo e arquitetura.

Foi possível estabelecer relações incríveis que mostram que transporte coletivo priorizado não é apenas uma necessidade urbana e sim uma necessidade humana.

De acordo com as revisões sobre os cerca de 300 estudos, os transportes coletivos são importantes para a saúde pública por uma série de fatores. Vários problemas poderiam ser reduzidos de maneira significativa com menos carros nas ruas para deslocamentos cotidianos e redes maiores e mais eficientes metroferroviárias e de ônibus.

- ACIDENTES: Por ano, a OMS calcula que 1,2 milhão de pessoas morrem em acidentes de trânsito. O número pode ser reduzido toda vez que um corredor de ônibus é construído e as pessoas optam por deixar o carro em casa. Quanto mais corredores, menos carros e menos acidentes, de acordo com o órgão internacional.

- INATIVIDADE FÍSICA E OBESIDADE: Quem anda de transporte coletivo gasta por dia em média 350 calorias a mais em comparação com quem faz o mesmo percurso de carro. A OMS aponta que por ano, devido a problemas agravados pela inatividade física, como diabetes e hipertensão arterial, 19 milhões de pessoas morrem. Cerca de 3,2 milhões estavam aparentemente saudáveis e apresentavam poucos sintomas, mas não caminhavam, não pedalavam e só faziam atividades físicas esporadicamente. Segundo os estudos, estas 350 calorias gastas por dia a mais poderiam fazer muita diferença no ano.

- POLUIÇÃO DO AR: A OMS relevou que anualmente, 2 milhões de pessoas morrem por causa da poluição do ar. Em todo o mundo, a frota de automóveis é responsável por 68% dos poluentes na atmosfera. Se forem consideradas as áreas urbanas, os automóveis são responsáveis por 90% da poluição do ar. Se o cidadão tiver à disposição ônibus e metrôs eficientes e com custo de passagem acessível, para ele vai ser mais vantajoso deixar o carro em casa, o que vai impactar diretamente nestes altos índices de poluição. Mas analisando ainda os cerca de 300 estudos, Dr. Carlos Dora diz que as políticas públicas em todo o mundo precisam de fato levar os transportes coletivos e o deslocamento por bicicleta a sério: De 2002 a 2004, 66% dos empréstimos do Banco Mundial para intervenções relacionadas a transportes foram para construções de vias ou rodovias voltadas para o trânsito comum. A minoria dos recursos foi para corredores do ônibus, metrô e ciclovias que ofereçam de fato segurança a quem opta por se deslocar de bicicleta.

Outro dado importante é sobre o “tipo de poluição”. Os elementos mais perigosos no ar são as Partículas PM 10, mais presentes na queima de combustíveis de carros de passeio que de ônibus e caminhões. As PM 10 são as que medem 10 micrômetros ou menos. Elas entram no corpo humano e invadem a corrente sanguínea de forma muito fácil e rápida e podem provocar males como asma, bronquite, infecções respiratórias inferiores, doenças cardíacas e câncer no pulmão. A OMS orienta que o índice suportável, na média anual, de PM 10 no ar é de 20 microgramas por metro cúbico. Mas nas metrópoles, o que inclui Nova Iorque, Cidade do México e São Paulo, este índice anual alcançou a 300 microgramas por metrô cúbico.

E o número mais alarmante vem agora: Das 2 milhões de pessoas que morrem por ano por causa da poluição, 1,34 milhões são mortes prematuras. E o mais importante ainda: deste total, ainda de acordo com a OMS, 1,09 milhões de mortes poderiam ser evitadas, se os parâmetros estabelecidos pela Organização fossem seguidos.

“Um sistema de transporte público, como o BRT – Bus Rapid Transit – pode gerar redução na poluição do local onde é instalado pois pode ter como resultado menos congestionamentos, menos pessoas usando carros” – disse o Dr. Carlos Dora.

Desabafo Formosense: Saúde em crise

19 março 2013 / 6 Comments
Por Aldimar Nunes 
A saúde formosense nunca foi um "mar de rosas". Não venha criticar ou elogiar políticos por preferência política, faça uma análise imparcial de quem verdadeiramente necessita e frequenta o estabelecimento.

Formosa sempre foi criticada por habitantes do Distrito Federal por superlotar hospitais brasilienses mostrando a ineficácia do Governo Estadual em auxiliar a 10ª maior economia do Estado de Goiás. O problema não é somente das esferas municipais, que muitas vezes está “atolada” em dívidas suspeitas.

O HMF é alvo de campanhas de vários políticos, mas as promessas nunca são compridas. Em sua campanha Itamar afirmou que o Hospital Municipal de Formosa teria plantão permanente de médico pediatra, o que não foi cumprido.

Quem possui condições financeiras prefere não ser atendido no HMF pois no hospital não há um atendimento satisfatório. Há casos que para ser atendido o tempo de espera supera 3 horas e muitas vezes acaba agendando por não ter o atendimento específico.

Os casos de erros ocorre inclusive na alta cúpula do hospital, onde médicos esquecem de passar receita médica, erram em diagnósticos e caso a paciente não procure outro atendimento pode ter graves sequelas.

Ao invés de melhorar, o HMF e UPA sofreram um roubo ainda não informado de vários equipamentos caros (Veja fotos de repúdio abaixo).  E o UPA pode ainda sofrer suas atividades suspensas, prejudicando o atendimento imediato e trazendo lentidão ao sistema de saúde local.

A indignação da sociedade formosense é evidente, em passagens pela web vemos várias reclamações ao secretário de saúde e prefeito.

“Hoje fui ao Hospital Municipal para tentar consultar meu filho e me informaram que só teria pediatra às 19:00 e não era nem certeza, pois não tem dia certo para ter pediatra. Para saber sem tem pediatra você tem que ficar ligando no hospital! Eu pensei que algo iria mudar, mas até agora não vi mudança alguma", afirmou Fernanda Sabrynna que constatou o fato no dia 09 de fevereiro.

“Não sei como tem coragem de falar que a saúde de Formosa melhorou, fui levar minha irmã com o filho doente no HMF, ficamos aguardando 04 horas para atendimento, e ainda não foi atendido por pediatra, cadê as especialidades 24 horas que prometeram!!!! Uma vergonha um hospital onde atende urgência e emergência com apenas dois médicos!!!!! Até quando as pessoas teram que sair da sua cidade para procurar atendimento nas cidades vizinhas????? Até quando????”, relatou Elaine Araujo.

“Bom dia gente... queria não ter quer reclamar sobre isso, sera q mesmo pagando impostos não temos direito de ter uma saúde, pra que dizer sobre o hospital municipal de FORMOSA- GO, minha amiga ontem passou mal e os médicos que la estavam não dão o minimo para os pacientes eles aplicam injeção sem saber se a pessoa tem alguma alergia, e que medico e esse que vê a pessoa sofrendo de dor e diz que e mentira isso e um absurdo duvido se fosse da família deles se eles fariam isso cade nossos direitos pagamos impostos merecemos isso. QUE FALTA DE RESPEITO ISSO E UMA VERGONHA PRA FORMOSA AQUI FICA A INDIGNAÇÃO DE UMA PESSOA QUE VIVEU ISSO”, publicou Jaciane Trileia.

Veja fotos abaixo, de manifestantes que compareceram na Praça Rui Barbosa reivindicando saúde, educação e segurança.



Digo desde já que a saúde só tende a piorar. Com a instalação da fábrica de cimento problemas respiratórios se tornarão frequentes. Além das dermatoses ocupacionais. Fique ligado!

Desabafo do Formosense: Falta de sinalização

06 março 2013 / Sem comentários
https://lh5.googleusercontent.com/-5jKhKfHC0dA/USOICbVSinI/AAAAAAAAESY/OlHxZDi3w1Q/s530/desabafo+formosense.png

Formosa nunca foi uma cidade com grande sinalização, mesmo sendo uma das maiores do Entorno não tem sinalização nem na própria Feira Municipal. 

O assunto não vem ser polêmico até um familiar ou amigo se acidentar devido a falta de sinalização. Falta inclusive, que pode causar vários danos em carros e até a morte dos motociclistas.

Não é novidade, mas Formosa tem centenas de lombadas (quebra-molas) espalhadas pelo município, mas você sabe me dizer quantas são devidamente regulamentadas e sinalizadas?

As administrações anteriores não fizeram a manutenção das antigas muito menos das novas, criando um bolo de lombadas velhas sem manutenção e nenhuma sinalização.

A engenharia da sinalização chega a ser interessante, existem placas onde não podem ser visualizadas, sinais desativados em pontos movimentados, falta de faixa zebrada nas lombadas (lombadas em ruas pequenas e sem lâmpadas nas ruas), podemos citar várias “pérolas”.

O problema (em tese) não é do prefeito, pois a Prefeitura Municipal não tem arrecadação regular do trânsito, mas nada impede o SMT de intervir, já que para isso foi criado.

Caso alguém venha a se prejudicar pela falta da sinalização poderá mover ação judicial para cobrir eventuais danos e indenizações.

Desabafo Formosense: Insegurança

19 fevereiro 2013 / 1 Comment
https://lh5.googleusercontent.com/-5jKhKfHC0dA/USOICbVSinI/AAAAAAAAESY/OlHxZDi3w1Q/s530/desabafo+formosense.png

Saiba +
Desabafo Formosense é a nova coluna do Entorno Urgente. Trazendo sempre temas polêmicos com uma linguagem de fácil entendimento. A opinião expressa é da nossa redação não sendo influenciável. Não há nenhuma relação entre os grupos do facebook.
Formosa, uma das maiores cidades do Entorno, é apontada como uma das mais violentas. Em uma posição estratégica entre estradas rurais e pouca fiscalização, os bandidos que cometem delito muitas vezes não são encontrados nas mediações.

Em anos atrás, víamos nas viaturas armas de grosso calibre, policiais bem treinados, a polícia de choque fazendo um policiamento ostensivo de combate ao crime. Formosa, tinha mais policiais, maior investimento por parte do Governo do Estado e maior influência na gestão regional.

Ontem (18) às 18h30 um jovem de 21 anos foi baleado duas vezes nas costas e uma mulher que estava no local foi alvejada por balas perdidas. A mulher foi liberada após atendimento pelo SAMU e o jovem foi encaminhado ao Hospital Municipal.

O jeitinho brasileiro de não se importar com o que é conveniente fez a segurança tornar insegurança. Sem um apoio amplo estadual e sem um dirigente de pulso forte, ficamos reféns do medo e da criminalidade.

O direito de ir e vir, um dos fundamentos da constituição não é obedecido.

Pessoas por medo não saem à noite, não frequentam os bares e muito menos ficam até tarde nas ruas.

A falta de movimento por parte da população faz a situação se agravar mais. Lembramos que 2014 é ano de votos, de políticos virem em nossa terra buscar votos e depois não cumprirem. Fique atento e não seja mais um alienado que defende ideias patéticas e hipócritas.

Formosa/GO em crise e solução a caminho

25 outubro 2012 / Sem comentários

Formosa encontra-se em crise, o fim da atual administração está sendo conturbado e alvo de críticas.

SANEAMENTO
O sistema de coleta de lixo municipal está deixando moradores de vários bairros revoltados.
Desde o início do mês, lugares muito frequentados estão às traças, trazendo mau cheiro e possível transmissão de doenças, tais como leptospirose, febre tifoide, cólera, câncer e intoxicação.

Imagem postada por um morador no '"Desabafo Formosense/facebook"
EDUCAÇÃO
Os professores municipais ameaçam entrar em greve caso o prefeito divida em 24 vezes o pagamento retroativo do Piso Salarial Nacional do Magistério. Segundo eles, essa dívida deveria ser paga no início do mandato, o que não foi feito. Os professores contam apoio total da Sinprefor e Cut-DF

REDUÇÃO DE CONTRATADOS E SALÁRIOS
Vários funcionários municipais foram demitidos e muitos profissionais da saúde tiveram sua carga horária reduzida pela metade, causando grande lentidão nos serviços públicos.
Funcionários efetivos estão apreensivos, medida enviada a Câmara Municipal autoriza cortes em salários, reduzindo-os drasticamente. 

SAÚDE
Na saúde Formosa é criticada em várias reportagens do Entorno DF, segundo elas, Formosa envia pacientes para hospitais do DF, superlotando e causando grande lentidão. O Hospital Municipal de Formosa foi alvo de um pedido de afastamento feito pelo Ministério Público de Goiás contra o atual prefeito e secretário de saúde.  De acordo com o promotor, o sistema público de saúde em Formosa, sobretudo a partir de 2011, tem piorado sistematicamente, principalmente quanto à estrutura física do Hospital Municipal. Wagner Carvalho relata que as primeiras averiguações sobre a unidade, ainda em 2009, foram feitas por auditores da Regional de Saúde do Entorno Norte, evidenciando várias irregularidades, desde a higienização inadequada da alimentação à falta de pessoal, material de consumo, de equipamentos e 
maquinários diversos.

Remédios são armazenados de forma improvisada no HMF



PREFEITO
Pedro Ivo é formado em engenharia civil pela Universidade Católica de Goiás em 1986. Casado com a arquiteta Cybelle Saad, é pai de três filhas e responsável por inúmeras obras no município de Formosa. Reconhecido por diferentes grupos políticos, Pedro Ivo,  em 2008 foi escolhido para ser o prefeito.
Foi eleito prefeito por 17.371 votos contra 15.056 do ex-adversário Itamar Barreto, uma diferença de 5,0 %.

FUTURO DE FORMOSA


Enquanto isso o futuro prefeito, Itamar Barreto, estava em Goiânia, em busca de recursos federais e estaduais para fazer o pagamento de eventuais déficits da administração atual e investimentos para o orçamento municipal de 2013. O futuro prefeito contou com o apoio do Governador do estado, senador, deputados federais, estaduais e toda a base política da região. Informações ainda não confirmadas afirmam uma arrecadação alta.