Aconteceu na noite desta quarta-feira (17) mais uma manifestação na Câmara Municipal. Grevistas lotaram o Plenário.

Aconteceu na noite desta quarta-feira (17) mais uma manifestação na Câmara Municipal. Grevistas lotaram o Plenário.

O presidente da Casa de Leis iniciou a sessão ordinária dando as boas-vindas. A primeira matéria a ser lida no plenário foi a denúncia por infração político-administrativa em desfavor do prefeito municipal.

Foi realizada a leitura integral da denúncia e do parecer da assessoria jurídica da Câmara. Em matéria de defesa, um vereador citou que foi arquivado pelo Ministério Público no ano passado, uma denúncia sobre o não pagamento do reajuste dos professores. Segundo ele, o promotor destacou que em tempos de crise não se pode desrespeitar a Lei de Responsabilidade Fiscal.

“O prefeito vai usar isto como matéria de defesa. Nós cassamos ele aqui e três dias depois qualquer juiz vai conceder uma liminar dizendo que o Ministério Público arquivou o processo dele. Não adianta tentar fazer algo aqui e não ter um efeito prático”, destaca Santiago. “Eu também sou favorável [ao recebimento de vocês], mas veja bem, qual a outra alternativa que se tem? Falei com o prefeito hoje, falei que a situação está insustentável para os servidores e todos. Não existe a possibilidade de fazer uma proposta palpável? Existe, foi o que ele me disse. Ele revelou que semana que vem já marcou uma reunião com todos os vereadores”, avisa.

Alguns vereadores destacaram que falaram com o prefeito Itamar Barreto. Eles revelaram que o prefeito tem propostas. Por isto, alguns vereadores sugeriram criar uma Comissão para ouvirem o prefeito. “Ele deixou bem claro e pediu que avisasse. Os arquivos da Prefeitura estão à disposição de qualquer cidadão que quiser questionar. Ele disse das dificuldades de tirar tantas cópias por falta de recursos. Mas estão abertos a qualquer cidadão”, pontua.

O vereador Sd Caetano reclamou do lapso temporal e defendeu a abertura da denúncia “Tem quanto tempo que estão esperando uma resposta dessa Câmara? Na greve passada formaram uma Comissão. Resolveu alguma coisa? ”, indaga.

A votação foi bem tumultuada. Quem votou a favor da denúncia recebeu palmas contratadas com as vaias de quem votou pela rejeição da denúncia por infração político-administrativa em desfavor do prefeito.

A denúncia foi apreciada pelo Plenário e rejeitada por 10 votos contrários (Vers. Antônio Faleiro, Castro, Jeremias, Jurandir, Miguel Rubens – Macarrão, Miquita, Nélio Marques, Prof. Jorge, Santiago e Zequinha Leiloeiro) e 06 favoráveis (Vers. Divino Ramos, Domingos Filho, Emílio do Raio X, Gustavo Marques, Sd. Caetano e Wenner Patrick).

Na saída os vereadores se depararam com um corredor polonês montado pelos manifestantes. Alguns vereadores saíram escoltados com proteção policial.

Os servidores se reuniram antes da sessão da Câmara e votaram pela continuidade da greve que marca 30 dias.

O áudio completo da sessão ordinária do dia 17 de fevereiro pode ser ouvido abaixo:


Galeria

Confira a galeria



Escolha qual rede social e comente:

0 comments: