Quis o destino, com essa trágica lição, realmente, ensinar, despertar, reavivar algo a todos nós brasileiros e ao mundo? Evidentemente que sim.
CORTAR AS CORRENTES DO PASSADO
Filosofias, ideologias e sistemas políticos estão desmoronando, perdendo-se no tempo esfumaçado, num planeta que sofre uma seriíssima transformação socioambiental. Todo o passado da civilização está sofrendo uma profunda ruptura da ligação com o presente, que rompe, por sua vez, as suas ligações com o futuro. Um mundo novo surge no horizonte da humanidade, uma perspectiva carregada de interrogações, dúvidas e incertezas preocupantes. As transformações ambientais estão pressionando as transformações sociais que voltam a pressionar as transformações ambientais, assim, em constantes e intermináveis círculos de alterações. Aquele que não cortar as correntes que o prendem ao passado, que está afundando no abismo das irrealizações, não conseguirá firmar-se em si mesmo, no presente, para enfrentar de forma equilibrada os dias futuros, que necessitarão de novas ideias, novos projetos, novas construções, novos seres humanos, que precisam unir corpo, mente e espirito num ser humano integral, que reconhece a sua interligação e interdependência com o meio ambiente, a nossa Mãe Natureza.

UMA TRÁGICA LIÇÃO DO DESTINO
Quis o destino, com essa trágica lição, realmente, ensinar, despertar, reavivar algo a todos nós brasileiros e ao mundo? Evidentemente que sim. Num planeta dominado pelo materialismo, pela superficialidade, pelo artificialismo e pela extrema e fria tecnologia, esse indescritível e inesquecível acidente teve o poder de acorda-lo, especialmente para uma profunda reflexão sobre os verdadeiros valores e princípios existenciais, pela incrível fragilidade da vida humana diante da inadiável e indesejável morte. Teve o acidente chapecoense uma valiosa consequência: sacudir a humanidade! Sacudir sim, fortemente, para o despertamento do amor, da solidariedade, da civilidade, incrivelmente demonstrados pelo povo colombiano, pelas autoridades colombianas, pelo time colombiano, possível adversário do Chapecoense. A Colômbia mostrou para o mundo que o poder do amor, da solidariedade e da civilidade ainda, graças a Deus, está poderosamente vivo dentro de cada ser humano, que não está perdido no meio dos destroços e feridas sociais de uma sociedade humana desorientada no meio de tantas perturbações ambientais e sociais. Obrigado Colômbia. O mundo lhe deve um grande agradecimento e profunda admiração. Obrigado Colômbia pelo magnifico exemplo de grandeza humana!

POR QUE AS REDES SOCIAIS NÃO DIVULGAM FATOS POSITIVOS?
As ações da Petrobras tiveram uma valorização de 70%, desde junho, quando assumiu o novo presidente, Pedro Parente, que está saneando, reestruturando e buscando controlar os riscos de acidentes da megaempresa brasileira, tanto que investidores internacionais estão voltando a comprar as ações. Uma empresa destroçada e assaltada nos governos anteriores, "que não sabiam de nada". Motivo de celebração essa salvação da Petrobras, que puxa o mercado econômico do Brasil. Vamos divulgar entusiasmo e otimismo, crença na competência de sérios executivos brasileiros.

Marcos Garzon
Escritor, empresário, advogado, publicitário, especialista em marketing de transformação, escritor com mais de 100 livros publicados e distribuído sobre o tema responsabilidade socioambiental. Curta e fique por dentro sobre a defesa do meio ambiente:
https://www.facebook.com/Marcos-Garzon-515090675191698/
https://www.youtube.com/watch?v=Td4jbjmnIQk
http://www.marcosgarzon.eco.br

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: