Falta de UTI para recém-nascido mostra falta de articulação das autoridades

Formosa perdeu neste sábado (30), um bebê por falta de UTI Neonatal. Segundo a Prefeitura “Veio a óbito em decorrência de problemas sérios de saúde que possuía (cardiopatia grave, diabtes e problema renal)”, disse.

Uma das cidades mais prósperas de Goiás, uma possível região administrativa para a futura capital e a 267ª maior cidade do Brasil (em população) vê seu futuro morrer por falta de planejamento e investimentos. Conhecida, antes, por ter uma saúde robusta, mães de diversas cidades do nordeste goiano e até de Brasília elegiam Formosa como o local de nascimento de seus filhos.

Hoje, o que se vê é desolação. Engessada, Formosa não conseguiu sua Unidade de Tratamento Intensivo mesmo fazendo parte de uma região estrategicamente localizada às margens da Rodovia Juscelino Kubistchek.

Após o pleito de 2016, o sonho da população em conquistar sua UTI parecia sair do papel. O prefeito Ernesto Roller ladeado por um senador e deputados prometeram a união de esforços para trazer de vez o sonho antigo. Passados quase 2 anos, a proposta ainda não saiu do papel.

A mãe do bebê recém-nascido chora enquanto o município de Formosa recebeu neste mês de março, R$ 128 mil reais para fazer o calçadão e mais R$ 150 mil para pavimentar. Os últimos convênios da Prefeitura e o Governo Federal refletem uma realidade: Nos últimos dois anos não houve nenhum convênio relacionado à saúde, conforme dados do Portal da Transparência.



Nas redes A morte do Davi fez a comoção da cidade. A mãe busca agora por justiça “Aos médicos e enfermeiros agradeço muito fizeram o que estavam no alcance deles mas ao senhor prefeito? Procurei de todas as formas que meu filho fosse para uma UTI meu marido foi até no Ministério Público. Sabe o que adiantou? Nada eles esperaram meu filho morrer! Eu quero justiça e vou até o fim pra que isso não aconteça com outros recém-nascidos!”, disse Débora, mãe do bebê.

O que diz a Prefeitura Publicada em uma rede social, logo após a publicidade negativa foi apagada. A nota dizia: 


Vídeos da campanha do atual prefeito também viralizaram. Neles, aliados falavam da UTI que pretendia trazer: 



Segundo o vereador Wenner Patrick, a justiça tinha concedido o mandado de segurança para que Prefeitura pagasse uma UTI particular “Nosso princepezinho não resistiu. Mandato de Segurança obrigando a prefeitura pagar particular saiu nessa manhã”, disse o vereador.

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: