Mais uma quadrilha foi desarticulada pela polícia civil em Brasília. Quadrilha que inclusive atuou em Formosa e ainda responde pelo crime.

Oito homens foram presos entre a tarde dessa quarta-feira (9/1) e a madrugada desta quinta-feira (10/1). Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil (Divicom), os suspeitos fazem parte de uma quadrilha especializada em saídas de bancos no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). As vítimas eram comerciantes clientes do Banco de Brasília (BRB) e realizavam saques em valores altos. Em três meses de atuação, eles roubaram cerca de R$ 300 mil. A polícia, no entanto, suspeita que eles já atuassem há mais tempo.

Segundo a polícia, os criminosos tinham informação de um caixa da agência, que avisava quando e quanto as vítimas iam sacar. Os suspeitos realizavam os roubos na saída da agência. De acordo com o delegado-chefe da Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos (DRF/PCDF), Fernando César Costa, existe a suspeita de outros dois envolvidos.

Parte do grupo foi presa em Águas Lindas (GO) e, com a quadrilha, a polícia apreendeu cerca de R$ 20 mil, duas pistolas calibre ponto 40 - uma delas roubada da Polícia Militar -, uma pistola 9mm, uma pistola calibre 380 e um revólver calibre .38. Além das armas, foram recolhidos dois veículos Saveiros, um Corsa, um Siena, um Golf, um Ford Ka, oito celulares, um laptop, três sons automotivos, cerca de 1,5kg de maconha e duas balanças de precisão.

O caixa do banco suspeito de repassar a informação para os assaltantes foi preso em casa, no Riacho Fundo I, na noite de ontem.

O líder do bando, Thiago Freire Rodrigues, e um comparsa, Rafael do Nascimento da Silva, já respondiam por um roubo a banco em Formosa (GO), onde eles sequestraram o gerente e a família durante a ação. Todos os outros também possuem passagem pela polícia. O grupo vai responder por assalto a mão armada, tentativa de latrocínio, porte de arma, formação de quadrilha, roubo, furto e receptação de veículos.

A assessoria do BRB informa que o banco se coloca à disposição para prestar quaisquer informações à Secretaria de Segurança e à Justiça. O empregado envolvido na prisão deve ser demitido.

Fonte: Correio Braziliense 

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: