Articulado pelo Ministério da Defesa, e sob coordenação do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), cerca de 8 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica participarão de treinamento conjunto na Região Sul do Brasil.

As atividades planejadas incluem a realização de diferentes tipos de treinamentos e simulações de combate e teve seu início no dia 16 de setembro, com o objetivo de preparar os militares para a missão constitucional de defesa da pátria.

Esta edição do exercício conjunto será desenvolvido, no período de 16 a 27 de setembro, por meio de ações simultâneas nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e do Paraná. Para isso, o território que compreende os três estados recebe uma nova demarcação, com a criação de países fictícios denominados pelas cores verde e amarela. Deste modo, os comandos das forças recebem instruções de coordenadores instalados na Direção do Exercício (DIREx) para procederem aos ataques de forma a derrotar o inimigo imaginário.

A “Laçador 2013” terá como principais finalidades: manutenção da capacidade operativa das tropas da Região Sul; adestramento dos diversos comandos e respectivas tropas em ações críticas de combate, apoio ao combate e apoio logístico, singulares e/ou conjuntas; adestramento dos diversos sistemas operacionais, promovendo e sedimentando a capacidade de interoperabilidade entre as Forças; experimentações doutrinárias de interesse para as operações conjuntas; e sistematização da atuação conjunta das três Forças com liderança da Defesa.

Por se tratar de uma operação complexa, que envolve o emprego de todos os sistemas operacionais, integrados por eficiente sistema de Comando e Controle, a partir de um Centro de Coordenação e Controle (C³), instalado no Quartel General do Comando Militar do Sul (CMS), com sede na capital gaúcha, onde cerca de 100 representantes das Forças envolvidas atuarão na coordenação de todas as atividades realizadas pelas tropas do CMS, do 5º Comando Aéreo Regional e do 5º Distrito Naval.

A continuidade das comunicações e o eficaz fluxo de informações da operação serão assegurados, por intermédio da utilização utilizados de modernos meios, sistemas e programas de tecnologia da informação, a serem disponibilizados nas diferentes células instaladas no interior do C³/CMS, para possibilitar efetiva integração, estabelecimento de comunicações seguras e o acompanhamento das ações realizadas pelas tropas.

O cidadão poderá acompanhar a operação no site www.operacoes.defesa.mil.br, que será alimentado com informações, fotos e vídeos das principais atividades realizadas, durante o treinamento.

Além das tropas e meios do Comando Militar do Sul, do V Comando Aéreo Regional e do 5º Distrito Naval, serão empregados, também, efetivos dos Comandos Anfíbios do Corpo de Fuzileiros Navais, do Grupamento de Mergulhadores de Combate (Grumec) e da Brigada de Infantaria Paraquedista, do Rio de Janeiro (RJ); da Brigada de Operações Especiais, de Goiânia (GO); do Comando de Aviação do Exército, de Taubaté (SP); do 6º Grupo de Lançadores Múltiplos de Foguetes, de Formosa (GO); da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, de Guarujá (SP); das Unidades Aéreas de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, Campo Grande e Anápolis; e especialistas nas áreas de Guerra Eletrônica, Simulação de Combate e Comunicação Social, de Brasília (DF).

A Operação Laçador é o 35º exercício desse vulto realizado pelo Ministério da Defesa, desde 2002, com o objetivo de aprimorar o adestramento das três Forças para atuar, de forma coordenada e eficaz, em situações de conflitos convencionais.

Os principais eventos serão desencadeados nos municípios de Rosário do Sul (RS), Alegrete (RS), Rio Grande (RS), Nova Santa Rita (RS), Santa Maria (RS), São Borja (RS), Canoas (RS), Porto Alegre (RS), Capitão Leônidas Marques (PR), Nova Prata do Iguaçu (PR), Blumenau (SC), Joinville (SC) e Florianópolis (SC).

Nestas cidades, estão programadas ações diretas de forças especiais, ataque com transposição de curso d’água, controle de localidade, assalto aeroterrestre, patrulha antissubmarino, defesa de estruturas estratégicas, controle de dano, defesa da área de retaguarda, ressuprimento aéreo, entre outras.

Outras informações poderão ser obtidas com a Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Defesa, por meio do site www.operacoes.defesa.mil.br ou pelo e-mail comsocialoperacoes@cms.eb.mil.br.

Pela Seção de Comunicação Social do 4º RCB

Escolha qual rede social e comente:

0 comments: