Menu

Biografia de Paulinho Araújo (PP), candidato a prefeito de Formosa

O Entorno Urgente segue divulgando a biografia dos candidatos a prefeito de Formosa. 

Paulinho Araújo é filho de Dona Madalena e Seu Olívio. Foi eleito vereador três vezes e é formado em Gestão Pública pela UEG. Confira a biografia enviada por sua assessoria:


Uma vida com Formosa - Biografia de um trabalhador


A CHEGADA EM FORMOSA

Paulo Roberto de Araújo tinha apenas seis anos quando avistou Formosa  pela primeira vez. Era 1964, e o que a criança viu foi uma cidade muito diferente da atual. Era um lugar com apenas 15 mil habitantes, ainda dominado por casarões antigos, com suas janelas e portas azuis que davam para ruas com cavalos e alguns carros de boi em disputa desigual com os carros motorizados. O menino olhou e gostou do que viu. Gostou também das planícies, dos lagos, das cachoeiras; gostou das praças arborizadas e tranquilas, onde o tempo parecia suspenso de tanta tranquilidade; e o gostar foi se transformando em um amor que o mantém até hoje na cidade onde desembarcou seis décadas atrás.


A CIDADE EM DESENVOLVIMENTO

O menino recém-chegado não tinha como saber, mas estava testemunhando um período fundamental da cidade, que passava por intensas transformações nas suas paisagens rural, urbana e social. A construção de Brasília, iniciada anos antes, trazia uma grande leva de migrantes; e o agronegócio estava finalmente se instalando em Formosa. São dessa época o surgimento do Hotel Imperatriz, no qual Paulinho sonhava se hospedar; o Hospital São Vicente de Paula, que tantas vezes atendeu sua família; e a agência do Banco do Brasil, empresa na qual, muito tempo depois, faria carreira. Formosa crescia, e Paulinho chegava para crescer junto com a cidade.


O PAI E A VIAÇÃO SANTO ANTONIO

Os pais de Paulinho fizeram parte desse crescimento. O casal saiu da cidade mineira de Patos de Minas para tentar a sorte naquela que estava se transformando em uma das mais importantes do Planalto Central. Seu Olívio, homem corajoso e empreendedor, comprou um ônibus e fundou a viação Santo Antônio, tornando-se, ao mesmo tempo, empresário, gerente e motorista. Era uma vida dura. E ele foi um pioneiro. Inaugurou a primeira linha da região a unir Unaí, em Minas Gerais, com a agora sua Formosa, em Goiás.


A MÃE E IRMÃOS DE PAULINHO

E se uma mulher sem juízo afunda a vida de um homem, uma mulher centrada e de valores superiores só engrandece a trajetória daquele que a desposa. Dona Madalena, atualmente muito conhecida em Formosa por sua religiosidade, bondade e imensa disposição em ajudar as pessoas, já demonstrava todas essas qualidades quando se casou com seu Olívio, numa tarde ensolarada e com vento ameno do dia 17 de setembro de 1952, na paróquia Santana da cidade de João Pinheiro, em Minas Gerais. Os anos foram passando, e enquanto o marido construía a empresa familiar, Dona Madalena dava o apoio com seu trabalho no lar e fé inabalável em um futuro melhor. Então, vieram os filhos. Primeiro, o Carlota; depois, Paulinho; e então se seguiram Vânia, Sérgio, Vanda e Lazinho. Seis filhos que, infelizmente, se tornaram cinco, devido ao falecimento de Vanda em 2016. 


OS TRÊS GRANDES VALORES        

Foram três os grandes valores que cercaram a infância de Paulinho e de seus irmãos. Valores que moldaram a criança e forjaram o homem que agora se candidata a prefeito: fé em Cristo; amor ao trabalho; e devoção à família. Quando se trata de Paulinho e sua família – e das famílias da esmagadora maioria dos formosenses – a citação desses valores não são, de modo algum, estratégias de campanha política, mas reflexos da realidade. Quem observa, por exemplo, a foto da primeira eucaristia de Paulinho, então com nove anos, vê um menino de terno e de gravata borboleta, no colégio São José, segurando um terço e uma vela; e sua fisionomia é compenetrada e introspectiva, típica de pessoas que levam a sério a própria vida e a dos outros, e que respeitam aquilo que praticam. Alguns chamam a isso de tradição. Outros, de conservadorismo. Mas podemos apenas chamar de vida saudável, produtiva e honesta.


O DESPERTAR PARA A POLÍTICA

Para Paulinho, junto com o gosto religioso e o gosto pela vida familiar, também veio o gosto pela política. Um gosto herdado da avó materna, a dona Belinha, nascida Isabel Braga, que de tão apaixonada pelo tema, viajava para as cidades vizinhas de João Pinheiro para ouvir os discursos de seus políticos preferidos, e militou em pelo menos três eleições municipais. Paulinho se encantava com as histórias contadas por sua avó sobre andanças e desafios eleitorais; e sua mente se enchia dos grandes e pequenos feitos que uma pessoa eleita pelo povo pode realizar para o bem daqueles que nele confiaram. Essa foi a semente do futuro político Paulinho.


O TRABALHO COMO FORMAÇÃO DE CARÁTER

A política, porém, precisou esperar, e não só pela pouca idade do precoce apaixonado pelo exercício público, mas porque a vida urgia. Ou melhor, a necessidade de dinheiro urgia. Paulinho começou a trabalhar muito pequeno, numa época em que a lei assim permitia. Aos dez anos, com seu irmão Carlota, já vendia biscoitos. O ponto de venda era a porta do Bar Serra do Ouro, na rua Emílio Povoa, de propriedade do senhor Ovídio, que com um olho cuidava da sua freguesia e com o outro cuidava dos dois moleques que faziam um dinheirinho para contribuir nas despesas da casa. Aos 12 anos, Paulinho começou a ajudar na viação do pai, lavando e limpando ônibus; e depois, sempre na companhia do irmão mais velho Carlota, ia engraxar sapatos na antiga rodoviária, que ficava na Praça Rui Barbosa.

Aos 15 anos, foi trabalhar na gráfica Ipiranga de Natal Pinto.  Ficou lá até os 18 anos, quando, em abril de 1976, foi ser bilheteiro da rodoviária da cidade, logo se tornando administrador do local; e de 1979 a 1982 foi encarregado na Companhia Saneamento de Goiás - Sineago.

Se vê, portanto, que o trabalho na vida de Paulinho assumiu um lugar de destaque não apenas como valor moral, mas como prática intensa e precoce. O menino aprendeu desde cedo o valor das coisas e a importância do suor honesto na construção dos sonhos. 


BANCO DO BRASIL E PRIMEIRO CASAMENTO  

Em 27 de outubro de 1982, apenas dois anos depois de se casar com Janete Abdalla Saad, Paulinho assume seu primeiro cargo no Banco do Brasil, na cidade de Posse, em Goiás. Para alguém caseiro e familiar como ele, foi uma grande provação ficar longe da esposa e de sua primeira filha, a Paulinha. Foram três longos anos e três meses de distância encurtada com visitas de fim de semana, até poder voltar definitivamente para Formosa e finalizar sua carreira no banco em 2007. Foram 25 anos de serviço, sem nenhuma mácula, sem nenhum processo administrativo e sem nenhuma advertência. E desde 2013 é sócio de seu irmão Carlota na Vidroshop, continuando sua vida de trabalho e prosperidade. 


O BATISMO POLÍTICO 

O começo na vida política foi em 1996, quando se elegeu vereador. O convite partiu de Tião Caroço, um político lendário da região, hoje deputado estadual por Goiás. Tião já conhecia não só a excelente reputação de Paulinho, mas também o conhecia pessoalmente, a quem caracteriza como uma pessoa de “uma história muito bonita e impecável. Uma história que qualquer pai gostaria que um filho tivesse”.


O NOVO CASAMENTO E A FESTA DO DIVINO 

Uma reviravolta em sua vida pessoal, ditada pela força do coração, coincidiu com sua entrada na política. No ano seguinte à sua primeira eleição, separou-se de Janete para se casar com a enfermeira Ana Lúcia, com quem teve os gêmeos, Artur e Bernardo. É uma união que dura até hoje.

Paulinho e sua família são muito envolvidos com o evento mais tradicional e conhecido da cidade, a Festa do Divino Espírito Santo, que reúne comemorações tanto nas áreas rurais quanto na cidade, onde mais de 7 mil pessoas saem às ruas para expressarem sua fé. Lazinho, irmão de Paulinho, já foi folião da cidade, e agora é sua filha Paulinha quem tem esse cargo de honra na festa.


TRÊS VEZES VEREADOR E FORMADO EM GESTÃO PÚBLICA

A segunda vitória política de Paulinho veio em 2000, quando foi reeleito para vereador; e em 2004 novamente venceu, somando três mandatos consecutivos. Porém, quase ao fim desse terceiro mandato, seus compromissos políticos o chamaram, e Paulinho foi assumir a chefia de gabinete da Secretaria de Segurança de Goiás. 

No meio de tanto trabalho e compromissos, os estudos não foram negligenciados. Em 2003, Paulinho se formou em Gestão Pública pela Universidade do Estado de Goiás, aliando o conhecimento prático ao teórico.     


A EXPERIÊNCIA ACUMULADA 

E nada foi em vão. Experiência administrativa no serviço público; experiência política e de encaminhamento de demandas na vereança; experiência empresarial com sua loja; vida desde a infância pautada pelo trabalho e pela fé – toda uma gama de aprendizados e aprimoramento pessoal que agora o capacita para, ao lado do experiente Itamar, assumir a prefeitura da cidade, para dar continuidade ao seu trabalho e amor por Formosa.      

Compartilhe:

Post Tags:

Sem comentários " Biografia de Paulinho Araújo (PP), candidato a prefeito de Formosa "

  • Adicione emoticons Show Icons
  • Para adicionar códigos [pre] código aqui[/pre]
  • Para adicionar imagens [img]link-da-imagem[/img]
  • Adicione seu vídeo http://www.youtube.com/watch?vSEUVIDEO